Joaquim José da Rocha Espanca, Jr.
 (17 de Mar de 1839 - 26 de Nov de 1896)
Joaquim Espanca
Em Vila Viçosa fez a instrução primária, aprendeu latim, canto, música, piano e órgão. Em 1856 entrou para o Seminário de Évora, aí completou os estudos e fez o curso de Teologia.
A 19 de Setembro de 1863 foi ordenado presbítero, foi capelão da Irmandade das Almas em Bencatel, durante 14 anos. Em 1877 foi para a freguesia de Pardais e foi prior em Bencatel e na freguesia de S. Bartolomeu.
Dedicou-se às letras e à música sacra, para a qual compôs muitas obras inéditas. As suas composições musicais (73) para piano, piano e canto, para instrumentos de sopro, para instrumentos diversos e canto, para novenas e para música sacra estão disponíveis na Biblioteca Pública de Évora.
Em 1864 começou a colaborar no jornal religioso Fé Católica. Posteriormente, publicou, nas Leituras Populares, o romance “Heroísmo de Amor Filial” e “Notícias Históricas das Igrejas de Nossa Senhora do Alcance e de Nossa Senhora das Mercês”, de Bencatel.
Para além disso, colaborou com os almanaques do “Bom Católico” e da “Imaculada Conceição”. Em 1882, publicou na Ordem, jornal religioso de Coimbra, um extenso protesto contra o Centenário do Marquês de Pombal.



A interpretação e leitura de velhas inscrições lapidares atribuiu-lhe o mérito como arqueólogo.
Encontra-se inédito o volume, por ele compilado em três tomos, de sermões pregados nas igrejas onde oficiou.
“Memórias de Vila Viçosa” representa o seu trabalho literário mais relevante. Uma extensa monografia, resultado de uma investigação profunda. Um contributo de inestimável valor para a divulgação, conhecimento e compreensão da história e da etnografia da região de Vila Viçosa.


 http://www.cm-vilavicosa.pt/pt/conteudos/o%20concelho/historia/padre%20joaquim%20espanca.htm

In Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Lisboa; Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia Lda., [195-]. Vol. X, p. 187